Carrinho de compras       
Editora Amaznia




Quantas mortes serão necessárias para que se leve o bullying a sério?



∇Os tiros disparados por um adolescente numa escola de Goiás contra outros adolescentes, matando dois colegas e ferindo outros, estão relacionados ao bullying que ele sofria. Quantas outras mortes serão necessárias para que este assunto seja levado a sério pelos pais, pelas escolas e pelos próprios estudantes?

O bullying já mostrou ser um problema grave. Pode causar depressão, até mesmo suicídio. Pode deixar sequelas para toda a vida. E quando pessoas que sofrem essas agressões continuadas já padecem de algum distúrbio psicológico, a reação é imprevisível e, não raro, acaba em tragédia.

Nem sempre é fácil descobrir se a criança sofre ou pratica bullying, mas tudo é mais simples quando os pais constroem uma relação de confiança e diálogo aberto, com sensibilidade para acolher o filho, sem minimizar a importância de seus problemas, atentos a suas aflições.

Estar mais próximo da escola, conhecer a família dos colegas, frequentar as redes sociais e conversar com os filhos sobre o seu dia são algumas das formas de descobrir se a criança é vítima de hostilidades ou se pratica violência contra alguém. Em ambos os casos, procurar a escola é fundamental. Eventualmente, vale também a ajuda de especialistas. Jamais se deve, em casa, reforçar o comportamento de sofrer calado porque “todo mundo passa por isso”, nem mostrar orgulho porque o filho é “o valentão da escola” e todos o temem.

A escola não pode se omitir. Projetos que promovam a empatia, com o estudante se colocando no lugar do outro, ajudam a prevenir o bullying. Nas turmas de adolescentes, em que os professores ficam pouco tempo com os estudantes, é preciso que ainda assim fiquem atentos para detectar situações de desrespeito. Há que envolver as famílias imediatamente. Tanto as vítimas como os agressores inspiram cuidados – afinal, não é normal se divertir humilhando os outros.

Também vale um alerta para os estudantes. O bullying só existe porque há uma plateia. Em torno daquele que agride e daquele que é atacado, costuma haver uma turminha que ri e aplaude. Sem esse sucesso, os agressores costumam desistir. Quando houver alguém sofrendo atos de crueldade, cabe a denúncia. Isso vale para toda a vida, e começa no ambiente escolar, onde as crianças esperam aprender, fazer amigos e se divertir.
Globo.com - 2017-10-20 / 17:10:30 - ID: 20

MEC libera consulta às vagas do 2º semestre do Fies 2016



∇O Ministério da Educação abriu a consulta às vagas que serão oferecidas pelo Financiamento Estudantil (Fies) na seleção do segundo semestre de 2016. Serão disponibilizadas 75 mil vagas. As inscrições começam nesta sexta-feira (24) e vão até o dia 29 de junho.

Para consultar as vagas, o candidato deve fazer a busca por curso, instituição ou município. O sistema disponibiliza detalhes como grau (bacharelado, por exemplo), turno, conceito do curso, mensalidade para o FIES, número de vagas e nota de corte.

O número de vagas no Fies sofre queda desde 2015. Em 2014, foram financiados 732 mil contratos. Em 2015, o número de vagas caiu para 278 mil. No primeiro semestre deste ano foram disponibilizadas 147 mil vagas.

A seleção deste semestre vai inaugurar uma série de mudanças anunciadas no fim de março, pelo então ministro Aloizio Mercadante, com o objetivo de estimular a participação e diminuir a ociosidade no programa. O atual ministro Mendonça Filho vai manter as mudanças.

A partir deste semestre, o MEC vai adotar um sistema parecido com o do Prouni na hora da seleção dos estudantes: os inscritos poderão mudar a opção de curso quantas vezes quiserem de acordo com a nota de corte que será divulgada pelo sistema a partir do segundo dia de inscrições.

Caso o candidato altere ou cancele sua inscrição no Fies, a vaga volta a ser disponibilizada pelo sistema para nova inscrição.

Mudança no teto familiar
Outra novidade é elevação da renda familiar per capita de 2,5 salários mínimos para 3 salários para a concessão de novos financiamentos.

Cursos prioritários
O MEC decidiu reduzir o percentual de contratos que deveriam ser fechados exclusivamente com estudantes das áreas de saúde, engenharia e licenciatura. Antes, essas áreas recebiam 70% dos financiamentos. A partir desta edição, o percentual será reduzido para 60%.

Ainda dentro de cada uma das subáreas haverá nova divisão:
- Cursos prioritários da área de saúde passam de 45% para 50%;
- Cursos prioritários da área de engenharia passam de 35% para 40%;
- Cursos prioritários da área de licenciatura, pedagogia e "normal superior" caem de 20% para 10%.

Além disso, segundo o MEC, está prevista nova etapa de inscrição para vagas remanescentes com prazo específico para estudantes inscritos e não aprovados.

Entenda: Sisu x Prouni x Fies
As três siglas representam iniciativas do governo federal na gestão do ensino superior. O Sisu é a sigla para Sistema de Seleção Unificada. Através do Sisu, instituições públicas - sem cobrança de mensalidade - selecionam alunos tendo como critério a nota do candidato no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

O Prouni concede bolsas de estudos integrais ou parciais em universidades privadas. O foco são estudantes que saíram de escolas públicas e têm baixa renda.

Já Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) oferece contratos de financiamentos. Para se inscrever, no Fies é preciso ter feito o Enem a partir de 2010, com nota final de pelo menos 450 pontos, e ter renda familiar mensal bruta per capita de até 2,5 salários mínimos.

Calendário Fies
Consulta de vagas: 21 de junho
Inscrições: 24 a 29 de junho
Resultado da seleção: até 30 de junho
Inscrições no sistema em única chamada: 1º de julho
Lista de espera: 4 de julho a 10 de agosto
G1 - 2016-06-22 / 15:27:11 - ID: 19

MEC preenche apenas 2,5% de vagas ociosas no ensino superior público



∇A secretária-executiva do Ministério da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, afirmou nesta segunda-feira (30) que a pasta vai reavaliar as tentativas feitas neste ano para preencher as vagas ociosas em universidades federais. Das 120 mil oportunidades em aberto, apenas 3 mil foram preenchidas desde março – 2,5% do total, segundo dados informados pela gestora. O "fracasso" da iniciativa será estudado.

"[A seleção] Já foi aberta duas vezes, mas não houve preenchimento adequado. O Sisu [Sistema de Seleção Unificado] de Vagas Remanescentes vai ser aberto posteriormente. Há previsão para julho, após uma reunião com as universidades federais para identificar a razão do preenchimento aquém do esperado", disse Maria Helena.

As regras do "Sisu Vagas de Remanescentes", chamado por ela de "Sisu-VR", não foram detalhadas. A ideia do programa foi anunciada pelo ex-ministro Aloizio Mercadante em dezembro, quando o Censo da Educação Superior identificou cerca de 140 mil vagas ociosas públicas, em instituições federais e estaduais.
"Logo que o ministro anterior [Mercadante] falou no Sisu de vagas remanescentes, o objetivo era ter um sistema que realmente usasse as vagas ociosas das universidades, de forma que os alunos pudessem ir de uma instituição para outra, ou trocar para um curso afim. Engenharia elétrica para engenharia mecânica, por exemplo", diz Maria Helena.

A secretária-executiva afirma que a mobilidade acadêmica no país vem sendo prejudicada pela burocracia. Em muitos casos, alunos que trocam de turno, curso ou instituição de ensino têm dificuldade para validar os créditos que já foram obtidos e acabam atrasando o prazo de formatura.

"Quando foi aberto, isso foi considerado uma coisa muito positiva porque obviamente demonstrou-se uma intenção de favorecer os alunos que querem mudar, sair, ou que precisam reconhecer créditos. A intenção foi positiva, mas a abertura das vagas não está sendo preenchida e nós não sabemos o motivo. Pedimos informações, há uma preocupação", diz a gestora.

Tentativa anterior
Nos moldes em que foi proposto pelo ex-ministro Mercadante, o Sisu de vagas remanescentes nunca saiu do papel. Segundo o MEC, as "tentativas anteriores" citadas pela secretária se referem a um programa similar, o Rede Universidade Para Professores.

Ele surgiu em março, e foi criado para complementar a formação de professores efetivos das redes municipal e estadual que não atuam na sua área de formação. Segundo o Censo Escolar de 2015, 52,8% dos professores brasileiros não têm a qualificação necessária para as aulas que aplicam diariamente.

Foram oferecidas 105 mil vagas em pedagogia e cursos de licenciatura em áreas como letras, matemática e geografia, mas a adesão não correspondeu ao esperado pelo ministério. O MEC não soube explicar ao G1 se o número de "3 mil adesões" citado por Maria Helena Guimarães se refere apenas ao programa ou se inclui alguma outra iniciativa.

Por Mateus Rodrigues | Foto:Eduardo Saraiva
G1 - 2016-05-31 / 12:06:16 - ID: 18

MEC suspende Fies, Prouni e Pronatec em 9 instituições



∇Nesta quarta-feira, dia 18, o Ministério da Educação e Cultura (MEC) suspendeu novos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e de vários outros cursos em ao menos nove instituições brasileiras.

A medida, concluída pela A Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior, também fechou com a oferta de bolsas dos programas Universidade para Todos (Prouni) e Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

As instituições citadas foram: Escola Superior de Relações Públicas (secretariado executivo); Universidade Bandeirante Anhanguera (gestão financeira); Faculdade de Ciências Contábeis de Itapetininga (cursos de ciências contábeis e administração); Faculdade São Camilo (administração); Faculdade Afirmativo (cursos de direito, secretariado executivo e administração); Faculdade José Lacerda Filho de Ciências Aplicadas (ciências contábeis); Faculdade São Marcos (administração); Faculdade do Descobrimento (administração); e Faculdade de Ciências Contábeis Luiz Mendes (ciências contábeis).

A portaria ainda mostra penalização ao Centro Universitário das Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), Instituto de Ensino e Pesquisa Objetivo e a Faculdade Fernão Dias. Confira mais detalhes sobre a decisão em publicação no Diário Oficial da União (DOU).
Catraca Livre - 2016-05-30 / 11:47:27 - ID: 17

SEDUC REALIZA NOITE DE AUTÓGRAFOS COM PROFESSORES DA REDE ESTADUAL DE ENSINO



∇O estande da Seduc na XX Feira Pan-Amazônica do Livro foi palco para uma noite de autógrafos de autores professores da rede estadual de Ensino, neste domingo (29). Entre os gêneros contos, poesia, romances e literatura infantil.

A poetisa, romancista, contista, cronista, letrista e autodidata na arte poética, servidora da Seduc Ângela Pastana tem oito livros publicados. Natural de Ourém é graduada em letras e tem seus poemas em antologias poéticas nas bibliotecas nacionais e internacionais.

A sua última obra lançada “Entre…Versos” traz 62 poemas que falam de sentimentos humanos como a melancolia, amor, saudade, todos sentimentos humanos que fazem parte do universo da autora.

Além de “Entre…Versos” a autora também traz ainda em sua bibliografia”Suspiros Poéticos” que faz parte da série Notáveis Poetas Brasileiros; “Voo Noturno”e “Luana” que receberam da Câmara do Livro a comenda “Livro de Ouro”; “Gotas”(poesia); “O Outro Lado” (contos e crônicas); “Oásis da Poesia” (poesia) e “Adote um Gatinho” (Conto Infanto-Juvenil).

Literatura Infantil – A pedagoga e vice-diretora da Escola Estadual José Veríssimo, Nazaré Mello é especialista em literatura infantil e tem 12 livros publicados. A autora também tem mestrado em educação e atua em diversos segmentos educacionais nas áreas particular e pública.

Entre suas obras estão a coleção “As Maravilhosas Lendas Amazônicas”, “Lendas Amazônicas para Crianças”, “Lendas Urbanas de Belém” e “Vamos Conhecer Melhor Nossos Mitos”.

A autora explica que suas obras trazem uma linguagem especialmente voltada para o público infantil, onde as lendas do imaginário amazônico são contadas de maneira leve e divertida com ilustrações regionalizadas levando o leitor para o conhecimento das lendas do nosso folclore.

No próximo sábado (04), às 18 horas, ainda na XX Feira Pan-Amazônica do Livro, a autora lançará sua mais recente obra: “Coleção Aventuras com os Bichinhos da Amazônia”, no estande da Editora Cultural Brasil.

Cultura Amazônica – O autor Paulo Maués Corrêa é professor da Escola Tecnológica Professor Anísio Teixeira. Paulo é licenciado em Letras pela Universidade Federal do Pará, especialista em literatura e mestre em Estudos Literários.

O autor tem sete obras publicadas. A mais recente “Cobra Grande- Terror e Encantamento na Amazônia”, da coleção Lendas Amazônicas, lançado pela editora Paka Tatu, traz um passeio pelos mitos e lendas da região em linguagem acessível.

Entre suas obras estão “Inglês de Souza em todas suas letras (2004); “Contos selecionados de Inglês de Souza” (2005); “Estudos de Literatura da Amazônia: prosadores paraenses” (2007); “Um olhar sobre Belém do Grão Pará, de Dalcídio Jurandir” (2008); “Leitura de dois Contos Paraenses de Marquês de Carvalho: Que bom marido e Desilusão” (2011) e “Sete Ensaios sobre Literatura: palavras de água, fogo, sangue, dor…” (2014).

Por Márcio Flexa | Foto: Fernando Nobre
http://www.feiradolivro.pa.gov.br/ - 2016-05-30 / 09:46:17 - ID: 16

A importância da leitura em sala de aula para a fluência leitora



∇Uma grande aliada do trabalho com fluência na escola é a leitura em voz alta, pois permite ao aluno preparar-se para ler, ensaiar, compreender para comunicar e expressar a outros um sentido. Ler para outras pessoas requer habilidade, concentração e expressividade, ou seja, envolve entonação, ritmo e ênfase. Para Goodman (1986), a leitura veloz está associada a uma alta compreensão.

Historicamente, a leitura em voz alta feita pelos alunos servia para a escola avaliar seu desempenho nessa atividade, atribuindo-lhes nota pela clareza e os erros cometidos - devia ser uma leitura rápida e eficaz, sem tropeços. Tomar leitura na escola era escolher o aluno "de surpresa", sem preparação prévia, muitas vezes sem ter lido o texto antes. De pé, o aluno lia para todos ouvirem. Os demais ficavam acompanhando para não perder o fio da leitura, com receio de serem os próximos a serem chamados e não saberem onde o colega havia parado. Se houvesse condições, os alunos decoravam o texto e apenas o reproduziam na hora da chamada, sem ler.

Ler em voz alta para outras pessoas ouvirem é um trabalho fundamental para desenvolver a fluência leitora e não para servir de avaliação. Definir a atividade, selecionar o que se lê, escolher a forma que será feita a leitura (em grupos, individualmente, divisão por personagens, por trechos etc.), ler e reler, ensaiar a apresentação, apresentar para um grupo menor (a própria classe) para ajustar alguns aspectos necessários e, por fim, apresentar a um público o que foi planejado.

Preparar a leitura envolve procedimentos específicos que devem ser socializados e explicitados. Ao definir o que cada um lerá na apresentação, os alunos podem grifar os trechos que serão lidos e destacar a última parte do colega para saber de onde partirá. Pode-se fazer um ensaio individual, outro ensaio coletivo, a apresentação para a turma e a retomada dos critérios necessários.

Ler e reler não significam de modo algum repetir várias vezes o que se leu sem ver sentido algum, apenas para tornar a leitura veloz e garantir fluência. O propósito dessa atividade é favorecer a compreensão de modo a dar mais ênfase a determinados trechos ou escolher o ritmo da narração.
http://revistaescola.abril.com.br - 2015-09-01 / 13:06:31 - ID: 15

Simulado 'Geekie Games' vai usar o método de cálculo de notas do Enem



∇ As questões que serão usadas nos testes e no simulado final do "Geekie Games - O desafio do Enem", utilizam Teoria de Resposta ao Item (TRI), método de avaliação utilizado pelo Enem que dá pesos diferentes para as questões de acordo com seu grau de dificuldade.

As inscrições para a plataforma que vai testar os conhecimentos dos estudantes para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio serão abertas no próximo dia 31 e a participação é gratuita.

O "Geekie Games" é uma realização da Geekie, uma startup de tecnologia aplicada à educação, com divulgação no G1, o portal de notícias da Globo.

Serão três etapas para deixar o aluno melhor preparado para a Educação. Na primeira etapa, quem se inscrever vai poder fazer exercícios das quatro áreas de conhecimento que são cobradas no Enem: ciências da natureza, ciências humanas, matemática e linguagens. Na segunda etapa, o estudante recebe um plano de estudos destacando seus pontos fortes e pontos fracos que merecem maior atenção. Ao final do processo, de 9 a 16 de outubro, o aluno vai fazer um simulado online no mesmo formato do Enem

As notas são calculadas a partir da TRI. O cálculo final não soma a quantidade de respostas certas, mas a "qualidade" destas respostas. Na TRI, o foco é no item, como é chamada cada questão. A teoria é o conjunto de modelos que relacionam uma ou mais habilidades com a probabilidade de a pessoa acertar a resposta. Assim, dois candidatos podem acertar o mesmo número de questões, mas terão pontuações diferentes de acordo com quais questões ele acertou.

A TRI qualifica o item de acordo com três parâmetros: o poder de discriminação, que é a capacidade de um item distinguir os estudantes que têm a proficiência requisitada daqueles quem não a têm; o grau de dificuldade da questão; e a possibilidade de acerto ao acaso (chute)

Pelo "Geekie Games" será possível ao estudante comparar sua nota com a nota de corte dos cursos e faculdades de sua escolha, além de saber que objetos de conhecimento priorizar para atingir seus objetivos.

A plataforma permite ainda que professores, escolas e secretarias de educação tenham acesso ao desempenho dos seus estudantes e possam entender as principais dificuldades dos alunos.

Como funciona
O primeiro passo será se inscrever no programa a partir de 31 de agosto, no G1 Educação ou diretamente no site do Geekie Games. Não será cobrada taxa de inscrição.

Na primeira etapa, o estudante vai fazer um teste para avaliar seus conhecimentos do conteúdo do Enem e identificar seus pontos fortes e fracos. A avaliação é dividida de acordo com as quatro áreas do Enem: ciências da natureza, ciências humanas, matemática e linguagens.

A prova pode ser feita em qualquer dia e horário de acordo com as possibilidades dos alunos. Não é obrigatório responder às questões de todas as quatro disciplinas, mas o ideal é que o aluno possa medir todo o seu conhecimento das áreas exigidas no Enem.

A inscrição pode ser feita até o dia 9 de outubro, mas o ideal é se inscrever o quanto antes e já poder fazer uso da plataforma na qual o aluno recebe um plano de estudos personalizado feito por professores para que possa estudar usando uma plataforma interativa que identifica como ele aprende melhor.

Na plataforma o aluno tem acesso a textos e vídeos sobre o conteúdo abordado nas provas. Durante esse período o professor e a escola podem acompanhar a evolução e desenvolvimento dos seus alunos e ajudá-los a se preparar para o Enem.

Um ranking atualizado diariamente vai mostrar o desempenho dos alunos por área de conhecimento.

Simulado final
De 9 a 16 de outubro, o estudante vai fazer o grande simulado do Enem. A prova terá os mesmos moldes do exame do MEC: em um dia o aluno responde a 90 questões de múltipla escolha, sendo 45 de ciências humanas e 45 de ciências da natureza, em 4h30 de prova, sem interrupções. No segundo dia, terá o mesmo tempo para responder a mais 90 questões, metade de matemática e a outra metade de linguagens e códigos.

Esse simulado será aberto pra todos os alunos, mesmo aqueles que não estiverem utilizando a plataforma. O participante vai receber um relatório personalizado do seu desempenho com a pontuação obtida no simulado e a comparação do seu desempenho com as notas de cortes dos cursos oferecidos no último Sistema de Seleção Unificada (Sisu).

O Enem será realizado nos dias 26 e 27 de outubro. O exame tem 7,1 milhões de candidatos inscritos.
http://g1.globo.com/educacao - 2013-08-22 / 00:37:53 - ID: 14

Empregados da TAM aprovam programa de demissão voluntária



∇Os empregados da TAM aprovaram, nesta quarta-feira (7), o programa de reestruturação de adesão voluntária acordado entre a companhia e o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), que prevê a demissão de 811 profissionais entre pilotos, copilotos e comissários, informou a aérea por meio de nota.

A TAM informou que o prazo para a adesão ao programa será entre os dias 8 a 16 de agosto deste ano.

O programa estará aberto a tripulantes de todos os equipamentos e terá validade de 18 meses, prorrogáveis por 12 meses. Segundo a companhia, nos seis primeiros meses, o funcionário licenciado e os familiares diretos contarão com plano de saúde e, durante o período da licença, com benefícios de bilhetes aéreos iguais aos dos funcionários ativos da empresa.

Já o PDV será oferecido para tripulantes de aeronaves da família Airbus 320. O programa vai incluir indenização adicional, além de seis meses de plano de saúde e três passagens aéreas para o funcionário e seus familiares diretos.
http://economia.uol.com.br - 2013-08-08 / 10:21:44 - ID: 13

Sisutec vai ofertar 239,7 mil vagas gratuitas em cursos técnicos



∇O Sistema de Seleção Unificada para Cursos Técnicos (Sisutec), lançado nesta segunda-feira (5) pelo Ministério da Educação, disponibilizará 239.792 vagas gratuitas para cursos técnicos e profissionalizantes no segundo semestre deste ano. Participam do programam 586 institutos federais de educação, ciência e tecnologia, instituições do Sistema S de ensino, escolas técnicas das redes estaduais e universidades. As inscrições, que começam nesta terça-feira (6) e vão até o dia 12 deste mês, devem ser feitas no site sisutec.mec.gov.br, que ainda está fora do ar.

Poderão participar do Sisutec alunos que realizaram a edição de 2012 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Das vagas disponíveis, 85% estão reservadas para alunos que cursaram o ensino médio em escolas públicas ou particulares na condição de bolsistas integrais.

No ato da inscrição, cada candidato poderá optar por até dois cursos.

O ministro da Educação, Aloísio Mercadante, afirmou que o Sisutec é uma oportunidade para o Brasil desenvolver o ensino técnico no Brasil. "É uma forma de oferecermos mais uma oferta na linha profissionalizante. Historicamente, o Brasil não desenvolveu o ensino profissionalizante. Nós estamos correndo atrás do tempo que nós perdemos".

Calendário
No dia 14 de agosto o Ministério divulgará os candidatos aprovados em primeira chamada. Para esses candidatos, a matrícula será nos dias 15 e 16. Os aprovados em segunda chamada serão divulgados no dia 19, e a matrícula no dia 20. As aulas iniciam entre 22 de agosto e 21 de outubro, e os cursos terão duração de um a dois anos.

Para Mercadante, o programa é voltado para "pessoas que querem continuar estudando e não obtiveram nota para ingressar nas universidades".

Segundo o ministro, dos quase sete milhões de inscritos para o Enem no ano passado, apenas 1,2 milhão ingressaram em universidades. "Daí a importância do Sisutec. Criar vagas para aqueles quase seis milhões de candidatos que querem estudar".

As áreas com mais cursos disponíveis são a de Tecnologia da Informação, Saúde, Indústria e Turismo. Ainda não se sabe quanto o governo federal irá gastar com o programa, mas o ministro Mercadante estima que será "menos do que com os alunos no Pronatec".

Cotas raciais e sociais
A seleção para cursos técnicos adotará cotas de acordo com raça, renda familiar e rede frequentada no ensino médio. De acordo com o MEC, 85% de todas as vagas oferecidas na próxima edição do Sisutec serão reservadas para estudantes que cursaram o ensino médio em escola pública ou na rede particular com bolsa integral.

Além disso, 50% de todas as vagas oferecidas nas instituições federais de ensino também serão reservadas. Nesse caso, poderão concorrer a essa cota os estudantes com renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio que estudaram na rede pública ou foram bolsistas integrais na rede particular.

As cotas raciais do Sisutec estão atreladas à rede de ensino onde o candidato terminou o ensino médio, segundo o edital. Nas instituições federais, nas vagas destinadas a negros, pardos e indígenas, será reservado um percentual correspondente à porcentagem da população preta, parda e indígena no Unidade Federativa do município onde a vaga é oferecida, segundo o Censo mais recente. Por exemplo, em um município onde há 100 pessoas, e cinco são negras, pardas ou indígenas, caso haja 20 vagas para um determinado curso, quatro delas serão destinadas às cotas.

Haverá dois tipos de cotas raciais: uma é específica para estudantes que fizeram o ensino médio na rede pública, ou como bolsista integral na rede particular, desde que tenham renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio. A outra exige que os estudantes interessados na cota racial tenham cursado a rede pública ou tenham tido bolsa integral na rede privada, mas não atrela a participação à renda familiar.

As demais vagas que não se encaixarem nas quatro categorias de cotas serão de ampla concorrência.
http://g1.globo.com - 2013-08-06 / 00:31:57 - ID: 12

Veja como pedir aumento de salário sem fazer 'mimimi'



∇ O momento de pedir aquele aumento de salário tão sonhado pode ser considerado o mais delicado para o profissional dentro da empresa, porque envolve não somente coragem, mas principalmente argumentação para convencer o chefe de que ele está merecendo ganhar mais. No entanto, para que esse reconhecimento se concretize, é preciso avaliar o trabalho que vem sendo desempenhado, a situação da empresa, como estão os salários do mercado compatíveis com a função e até o humor do chefe.

Os consultores de carreira Max Gehringer e Roberto Recinella dão dicas do que dizer e em qual circunstância ou melhor momento. E alertam: não adianta fazer drama ou alegar motivos pessoais, o popular "mimimi": é preciso justificativas embasadas na produtividade para fazer o pedido.

MOTIVOS
Posso alegar motivo pessoal, como por exemplo, o salário não supre minhas despesas pessoais, acabei de ganhar filho ou minha mãe está doente?
Max: Não. Talvez empresas devessem ser mais compreensivas em situações como essas, mas infelizmente elas não são. Uma empresa se mostra disposta a considerar um aumento quando sente que o problema é dela. Casos pessoais são problemas criados pelo próprio funcionário e portanto cabe a ele resolvê-los, não à empresa. Além disso, empresas evitam criar precedentes. Se um aumento fosse concedido a um funcionário que não consegue pagar a prestação do carro, todos os outros funcionários em situação semelhante iriam usar o mesmo argumento.
Recinella: Não. Isso só demonstra que, se você não sabe administrar seu dinheiro, também não saberá administrar o da empresa. Só apresente fatos profissionais de seu desempenho que justifiquem um aumento.
http://g1.globo.com - 2013-08-01 / 10:23:19 - ID: 11

Paralisações, atos e bloqueios de vias acontecem em todo o país; veja a situação nos Estados Comente



∇Todas as unidades da federação serão palco de protestos e paralisações nesta quinta-feira (11), data em que a maioria das centrais sindicais e dezenas de movimentos sociais convocaram uma mobilização nacional. Várias categorias, como metalúrgicos, trabalhadores do transporte e construção civil, professores, servidores públicos, entre outros, irão paralisar as atividades. A jornada de protestos foi decidida pelas centrais e movimentos em meio à onda de manifestações que se espalharam pelo país no mês de junho.

De maneira inédita, centrais de variadas matizes políticas, como a UGT (União Geral dos Trabalhadores), ligada ao PSD de Gilberto Kassab, e a CSP-Conlutas, vinculada ao PSTU, além das duas maiores do país, a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e Força Sindical, realizaram reuniões unificadas e definiram um conjunto de reivinficações.

Entre as pautas estão a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas; fim do fator previdenciário; 10% do PIB (Produto Interno Bruto) para educação; investimentos em saúde conforme disposto na Constituição; fim dos leilões do petróleo; redução de tarifas e melhorias no transporte público; rejeição da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 4330, que amplia as terceirizações; e realização da reforma agrária.

As centrais, movimentos e partidos políticos também irão empunhar bandeiras exclusivas, como é o caso da militância do PT, do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), da CUT e de movimentos da juventude, que irão defender a realização de um plebiscito sobre a reforma política.

Veja abaixo as paralisações, protestos e bloqueio de vias previstos em todas as unidades da federação.
SÃO PAULO

Protestos fecham as rodovias Anchieta, Anhanguera, Bandeirantes, Castello Branco, Raposo Tavares, Fernão Dias, Dutra e Mogi-Bertioga a partir de 6h.

Capital

Haverá paralisações e manifestações de bancários, comerciários, motoboys metalúrgicos, professores da rede estadual, policiais civis, garis, coletores de lixo e trabalhadores da construção civil.

Trabalhadores ligados à oposição do Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus prometem fechar todos os terminais de ônibus municipais pela manhã na capital. Metrô e trens funcionam normalmente.

Também haverá manifestações, a partir de 6h, na marginal Pinheiros (ponte do Socorro), avenida Jacu-Pêssego, radial Leste e marginal Tietê (ponte do Piqueri). A partir das 10h, ocorrem protestos na rua 25 de Março, avenidas do Estado, Prestes Maia, Nove de Julho e na ponte Octavio Frias de Oliveira.

Às 12h, manifestantes das centrais sindicais e diversos movimentos sociais se reúnem na avenida Paulista. Motoboys devem fazer bloqueios em avenidas e se concentrar na avenida Paulista para o ato.

Às 17h, manifestantes protestam contra a Rede Globo, na sede da emissora, no Brooklin --também haverá protestos contra a Globo no Rio de Janeiro, Pará, Rio Grande do Sul e Sergipe.



http://noticias.uol.com.br - 2013-07-11 / 00:27:13 - ID: 10

Polícia investiga se suspeitos de matar garota no PR foram agredidos



∇ Corregedoria-Geral da Polícia Civil do Paraná vai investigar se os quatro homens presos suspeitos de violentar e matar a adolescente Tayná Adriane da Silva, de 14 anos, em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, foram agredidos por policiais. De acordo com a polícia, eles confessaram os crimes. Além disso, a Secretaria de Segurança Pública do Paraná substituiu o delegado responsável pelo caso. As decisões foram divulgadas pela Secretaria de Segurança Pública do Paraná nesta quarta-feira (10).

A jovem desapareceu quando voltava da casa de uma amiga. De acordo com a polícia, ela foi abordada pelos suspeitos presos, que trabalhavam em um parque de diversão da cidade. Ainda segundo a polícia, eles estupraram e depois estrangularam a adolescente. O caso indignou moradores, que protestaram e atearam fogo nos brinquedos do parque. O corpo de Tayná foi encontrado por moradores da cidade três dias após o desaparecimento em um matagal em frente ao parque de diversões.
Os suspeitos estão na Casa de Custódia de Curitiba. Três deles foram ouvidos pela Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil-secção Paraná (OAB-PR). “Todos eles contam a forma como eles chegaram a um ponto onde não havia mais possibilidade de aguentarem a tortura e foram obrigados a falar o que era mandado”, disse Izabel Mendes, coordenadora de Direitos Humanos da OAB-PR. O quarto preso não participou da conversa com a advogada porque foi encaminhado para o Complexo Médico Penal com suspeita de hemorragia.

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), comentou as suspeitas, nesta manhã, antes da visita da advogada da OAB aos suspeitos. Disse ter dificuldade em acreditar que agressões em troca de confissão possam ocorrer nos dias de hoje, porém, destacou que o governo irá agir, caso algo seja comprovado. “Havendo qualquer tipo de irregularidade, desvio de conduta, excessos, nós iremos punir com todo o rigor da lei. Ainda mais se houver a confirmação de qualquer tipo de tortura a essas pessoas. Isso nós não toleramos e não vamos aceitar em nenhuma estrutura do nosso governo”, disse o governador.
http://g1.globo.com/ - 2013-07-11 / 00:21:13 - ID: 9

Eike Batista vende R$ 75 milhões em ações e reduz participação na OGX



∇O empresário Eike Batista, controlador da petroleira OGX, reduziu sua fatia na companhia em junho e sua participação passou para 57,18%, segundo informações enviadas à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quarta-feira (10).

A participação anterior de Eike era de 58,92%.

Foram realizadas operações de venda, entre os dias 7 e 13 de junho, de 56,16 milhões de papéis em um total de R$ 75,4 milhões.

Em 13 de junho, Eike disse que não tinha intenção de vender em bolsa mais ações da sua petroleira, após se desfazer de papéis da companhia no fim de maio, o que na ocasião aumentou a desconfiança de investidores sobre a empresa.

Saída do conselho de administração
Também nesta quarta, a petroleira OGX informou a saída de dois conselheiros, Samir Zraick e Luiz do Amaral de França Pereira. Com as saídas, já são cinco as baixas no conselho: em junho, os ex-ministros Pedro Malan (Fazenda), Rodolpho Tourinho Neto (Minas e Energia) e Ellen Gracie (Supremo Tribunal Federal) já haviam deixado o grupo.

Problemas
Desde o ano passado, as campanhas exploratórias da OGX têm obtido resultados muito inferiores ao estimados pela companhia. No começo do mês, a empresa suspendeu 3 campos de petróleo, parou a construção de 5 plataformas e avisou que não investiria mais no aumento da produção dos poços do campo de Tubarão Azul, que pode parar de extrair petróleo em 2014.

As sucessivas frustrações com a produção e a queima de caixa da OGX têm motivado forte queda de suas ações, contagiando outras companhias de Eike listadas na Bovespa.
http://g1.globo.com - 2013-07-11 / 00:15:13 - ID: 8
 Editora Amazonia

Endereço

Rua Antônio Barreto n. 1235
Umarizal
Belém- Pará

Contato

Fale conosco
E-mail: editora@editoramazonia.com.br
Fone(s):(91)3241-8150 / 3230-2205

Siga a Amazônia

Facebook
Twitter
Instagram

Trabalhe Conosco

Cadastre-se